Presidente do Marítimo: «BRUNO DE CARVALHO DEU O DITO POR NÃO DITO»

Em entrevista ao site ‘Tribuna’, do ‘Expresso’, o dirigente madeirense confirmou que Marega e José Sá estiveram próximos do clube de Alvalade. “É verdade que havia um direito de opção do Sporting que não foi exercido aquando da venda do Danilo e que o Marega e o Sá estiveram praticamente vendidos ao Sporting. Era uma vontade de Jorge Jesus, porque tínhamos falado nisso”, disse.

Carlos Pereira disse ainda que o negócio teve a intervenção de Álvaro Sobrinho e que o negócio não se concluiu porque Bruno de Carvalho não quis. “É verdade que me disseram que o negócio estava fechado, com o selo de garantia de Álvaro Sobrinho. Depois o presidente do Sporting deu o dito pelo não dito como aconteceu em relação ao Danilo. E o negócio não se concretizou”, afirmou numa entrevista em que avaliou igualmente os presidentes dos três grandes.
captura-de-ecra%cc%83-2016-09-10-as-00-12-56
O presidente do Marítimo disse ainda que não houve leilão nestes negócios. “Não houve leilão. Foi o tempo mais que suficiente para o negócio ser feito e que não foi feito por única e exclusiva responsabilidade do presidente do Sporting. No caso do Danilo, fiz questão de dizer que não ia esperar mais e que um euro a norte era igual a um euro a sul. Se há um responsável chama-se Bruno de Carvalho”, terminou.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.