Entrevista Jorge Jesus ao Record – As contratações

As contratações –

R: As contratações de Douglas, Markovic, Campbell e Meli não podem vir ‘atrapalhar’ o crescimento de Rúben Semedo e Gelson?

JJ – Não. Vai é fortalecê-los. Os jovens aprendem várias ações individuais com os bons jogadores durante os treinos. Quanto maior experiência os colegas tiverem, mais os jovens vão crescer. Na minha opinião, o Sporting deu um salto qualitativo muito grande em termos de plantel, porque sei qual o nível que os jogadores têm de ter para a exigência de um clube com esta dimensão. Difícil é perceber isto, por isso é que ao fim de um mês após aqui ter chegado disse ao presidente que me ia embora, porque aquilo não era nada.

R: Mas o Gelson Martins , por exemplo, está preparado para lidar com a pressão de ter tão alta concorrência?

JJ – Vamos lá ver: vocês olham para uma equipa como se fossem onze jogadores e não são. São os 25 mais três guarda-redes. Se hoje toda a gente diz que o plantel do Sporting foi bem escolhido, que tem grande qualidade, isso deve-se a quê? À qualidade de quem sabe escolher. Os presidentes têm bons treinadores se os souberem escolher bem. Com os treinadores é o mesmo: tens bons jogadores? Tens, porque os sabes escolher. Há outros que também escolhem… Por exemplo, os orçamentos de Benfica e FC Porto são muito mais altos do que o nosso. Gastaram muito mais dinheiro no mercado do que o Sporting. Só um jogador do Benfica [Jiménez, 22 milhões de euros] custou quase mais do que os nossos todos juntos. Se acham que o Sporting foi, dos três grandes, o que se reforçou melhor, isso deve-se à qualidade de quem escolheu.

Diretor de comunicação do Sporting arrasa Benfica acerca de Rafa

Rafa foi oficializado como reforço do Benfica no último dia do mercado de transferências, tendo-se falado de uma eventual tentativa por parte do Sporting de desviar o internacional português para Alvalade.

Estes rumores motivaram uma reação por parte de Nuno Saraiva, diretor de comunicação do Sporting, partilhou no Facebook um “e-mail” irónico onde refuta os rumores de uma troca de e-mails entre os leões e o representante de Rafa, afirmando que as notícias que davam conta da intenção de desviar Rafa são “um truque muito usado na política” e que mostra “fraquezas, medos e insucessos de quem os planta”.

14141786_1857261627830225_1969235630534273598_n

André e as discotecas

Entrevista ao Jornal Record – Jorge Jesus responde sobre a contratação de André, avançado brasileiro que o Sporting contratou ao Corinthians.

R: Pelo que já viu do Luc Castaignos, o que nos pode dizer sobre ele?

JJ – O Luc Castaignos é um primeiro avançado, como o Bas Dost e o André. O único diferente é o Alan Ruiz, pois trata-se de um segundo avançado. De certa forma, o André também pode fazer as duas posições do ataque.

R: Falando no André, a fama que ele traz do Brasil não é a melhor…

JJ – A má fama que o André tinha… Essas coisas que as pessoas dizem… Ele era um jovem e, na altura, foi a uma discoteca com o Neymar e com o Ganso. Por causa disso, o Barcelona não foi buscar o Neymar… O Barcelona preocupou-se e pensou: ‘Epá, não vamos buscar o Neymar porque ele foi à discoteca’. E eu fiz o mesmo: não fui buscar o André porque ele foi a uma discoteca.
Excerto da entrevista de Jorge Jesus ao jornal Record

Sporting esteve ou não interessado em Rafa ?

Na entrevista que Jorge Jesus concedeu ao jornal Record foi-lhe perguntado se o Sporting esteve ou não interessado em Rafa.

R: Rafa esteve quase a ser outra grande jogada?

JJ – Não, o Sporting nunca esteve interessado no Rafa porque o presidente e eu sabíamos que queríamos o Markovic. Agora, existiram nesse processo algumas jogadas de várias pessoas que meteram o Sporting ao barulho para fazer aumentar a parada. E parece que foi aumentada… Não quero dizer com isto que o Rafa não seja um grande jogador, porque é um dos grandes jogadores portugueses.

Jorge Jesus – ” Ao fim de um mês no Sporting quis ir-me embora “

Numa entrevista que deu ao Record Jorge Jesus aborda muitos temas mas uma das frases bombásticas desta entrevista é esta;

jorgejesus

“Quando cheguei ao Sporting, ao fim de um mês quis ir-me embora. Pensei: ‘o que é isto?’ Mas o presidente deu-me força e disse-me que as coisas iriam resolver-se”, contou o treinador ao jornal Record numa longa entrevista.

Ler mais aqui