Vinda de Sturaro para Alvalade foi adiada

Arecuperação de Stefano Sturaro está mais demorada que o esperado. Segundo adianta esta terça-feira o Maisfutebol, o médio italiano continua a recuperar em Turim e assim vai continuar por um período compreendido entre duas a quatro semanas.

O jogador cedido pela Juventus ao Sporting não recuperou no tempo estimado e Frederico Varandas, presidente do clube de Alvalade, foi informado do estado físico do jogador.

O líder leonino decidiu então que o melhor seria o médio continuar em Itália a recuperar, uma vez que não está a 100%.

Recorde-se que o negócio entre o Sporting e a Juventus por Sturaro foi oficializado no dia 11 de agosto, tendo sido detetada uma lesão no momento dos exames médicos. Ficou então acordado que o jogador ficasse em Turim a recuperar, com o Sporting a não ter qualquer despesa inerente a essa mesma recuperação.

Fonte: record.pt

 

Ex-Funcionário do Sporting detido

Antigo oficial de ligação aos adeptos do Sporting detido

‘Correio da Manhã’ adianta que Bruno Jacinto, que à data do ataque a Alcochete funcionava como oficial de ligação aos adeptos do Sporting, foi detido esta terça-feira no âmbito da investigação do DIAP de Lisboa.

Antigo funcionário dos leões, Bruno Jacinto terá tido conhecimento prévio do crime, da sua preparação e execução, respondendo tal como os outros 37 detidos por crimes de terrorismo, sequestro, ofensa à integridade física qualificada, ameaça agravada e dano com violência.

Refira-se que, segundo fonte da Polícia Segurança Pública, uma outra pessoa foi detida esta terça-feira no âmbito da mesma investigação.

«Não tem capacidade para resolver o problema do Sporting»

José Maria Ricciardi assumiu ser oposição a Frederico Varandas, um mês depois de ter perdido as eleições do Sporting para o antigo diretor clínico dos leões. À CMTV, o banqueiro explicou a sua decisão por não reconhecer no atual líder capacidade para resolver o que considera ser o principal problema do clube: as finanças.

“Estou aqui hoje porque pensei que ao fim de um mês se estaria a resolver o problema financeiro do Sporting. Tinha avisado que a situação era gravíssima. Muitos entendem que o futebol é o fundamental e Varandas apresentou-se como ‘expert’ no futebol. As pessoas entenderam que o sucesso do futebol é que é o importante. Não vislumbro qualquer capacidade nesta direção para resolver o problema. O Sporting encontra-se em situação de pré-falência. Não vejo capacidade nesta direção para resolver. Sem dinheiro não há futebol”, começou por dizer Ricciardi, que se recusa a ajudar esta direção.

«O SPORTING NÃO PAGOU ACUÑA, RAPHINHA OU BATTAGLIA; NÃO TEM UM TOSTÃO!»

O antigo candidato à presidência do Sporting, José Maria Ricciardi, alertou, esta terça-feira, que passado de presidência de Frederico Varandas nada foi feito para resolver os graves problemas financeiros; e sustenta que o clube de Alvalade está numa situação dramática.

«A situação é muito alarmante, tal como avancei nas eleições. Após um mês não vi nada. Nesta altura encontar-se numa situação de insolvência. O Sporting está em falência técnica», afirmou José Maria Ricciardi, em declarações à CMTV.

O antigo candidato garante que não irá ajudar o clube.

«Sem dinheiro não temos futebol. Não estou disposto a ajudar esta direção. Os sócios acharam que esta direção iria resolver a situação. Varandas apresentou uma direção com a área financeira e até disse que estava a dormir bem. Não vejo nenhuma credibilidade para que possa resolver os problemas.»

Ricciardi está pronto para fazer frente a Varandas.

«Sou oposição. O Sporting não tem um tostão. Deve 54 milhões aos fornecedores, pelo menos até 30 de junho. Ao contrário do que disse a comissão de gestão, o Sporting não pagou a parcela de Acuña e Raphinha. Faltam pagar mais dois milhões, e também de Battaglia. O Sporting não paga e os clubes ameaçam ir para a FIFA.»

“Tinha Jorge Jesus e Domingos Soares de Oliveira quando fui corrido”

Luiz Godinho Lopes revela, esta terça-feira, numa entrevista concedida ao jornal A Bola, que tinha tudo acertado com Jorge Jesus e Domingos Soares de Oliveira – então treinador e administrador da SAD do Benfica, respetivamente – quando abandonou a presidência do Sporting, em 2013.

À margem da apresentação do livro “Olhos no olhos”, onde revela vários episódios da sua passagem por Alvalade, o antigo líder leonino diz sentir-se obrigado a vir a público defender-se, depois de o seu nome ter sido “enxovalhado”.

“Tinha Jorge Jesus e Domingos Soares de Oliveira quando fui corrido. Falei com Jorge Jesus, a primeira vez em dezembro de 2012. Tínhamos combinado que seria no final dessa época. Os valores? Metade daquilo que Bruno de Carvalho pagou. Vinha ele e vinha o Domingos Soares de Oliveira . Reuni-me com ele, é sportinguista, excelente gestor e grande trabalho no Benfica”, afirmou.